História do SAAE em Itapetinga – Bahia

 

Foto antigo do SAAE
Foto antigo do SAAE

 

Em 14 de julho de 1959, através da Lei Municipal nº 58, sancionada pelo então Prefeito José Vaz Sampaio Espinheira, nascia o SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Itapetinga. Desde a sua criação, o SAAE passou a ser administrado pela FSESP – Fundação Serviços Especiais de Saúde Pública, órgão do Governo Federal e vinculado ao Ministério da Saúde, através do convênio firmado entre a Prefeitura Municipal de Itapetinga e a citada fundação. A FSESP, naquele período, recebia recursos do Governo Federal e também recursos oriundos da Fundação Rockfeller para trabalhar na área de saúde. A pequena empresa SAAE, já contava com um forte aliado para implementação de um projeto que tinha como objetivo acelerar o desenvolvimento da empresa num ritmo compatível com o crescimento do município.

O sistema de abastecimento de água criado em 1959 teve início de funcionamento neste mesmo ano e foi projetado para atender uma população de aproximadamente 15.000 habitantes. O Rio Catolé, que banha a cidade de Itapetinga, constituiu-se em fonte de suprimento e a captação do SAAE foi construída às suas margens.

O escritório, onde funcionava a parte administrativa da empresa, foi instalado no prédio onde hoje encontra-se instalada a atual Receita Federal e contava com 02 funcionários, Nelson Ararcon e Antônio Castro de Matos que cuidavam das áreas Financeira e administrativa.

No campo, Joel Moreira de Souza, encanador admitido pelo SAAE em 08 de setembro de 1959, executava a montagem das redes de água sob orientação do Mestre Pedro e do Engenheiro Carlos Lemos, ambos funcionários da FSESP.

Mas, a cidade de Itapetinga que, na época, possuía uma estrutura político-administrativa bastante promissora, representada pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e uma economia que se baseava na exploração da pecuária, crescia em ritmo bastante acelerado, com isso, no meados do ano de 1965, o sistema criado para atender 15.000 pessoas começava a dar sinais de desgaste, portanto, tornara urgente a ampliação do sistema de água com objetivo de atender melhor às demandas do povo Itapetinguense, e acompanhar as suas necessidades futuras.

Diante disso, à Administração Municipal solicitou à FSESP – Fundação de Serviços Especiais e Saúde Pública, a contratação de um Projeto de Ampliação do Sistema de Água e Reaparelhamento. Após estudos ficou definido as necessidades para a ampliação; uma nova Captação de Água, uma nova adutora de água bruta, Estação de tratamento de água e 01 (um) Reservatório quadrangular com laje do fundo e tampa em concreto armado e paredes em alvenarias de pedras com capacidade de 1.000 m3, localizados na Rua Jaguaquara, no Bairro Primavera, 01 (um) reservatório em concreto armado com capacidade de 800 m3 localizado no alto do Bairro Primavera, e ampliações nas adutoras e redes de distribuição de água. Foi contratado o Escritório do Engenheiro Irundy Assis, que dimensionou e projetou um novo sistema com a capacidade de produzir 162,00l/s, visando atender uma população de até 70.000 habitantes.

Visando atender exigências legais, a FSESP solicitou da Prefeitura Municipal que fosse elaborada uma nova Lei de criação do SAAE. Desta forma, a Prefeitura Municipal elaborou uma nova Lei de criação, onde o SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Itapetinga-Ba passou a ser enquadrado como Entidade Autárquica Municipal, com personalidade jurídica própria, sede e foro na cidade de Itapetinga, Estado da Bahia, dispondo de autonomia econômica, financeira e administrativa, atendendo aos limites traçados na lei. A nova Lei de criação do SAAE, sob nº 184 de 22 de junho de 1967, sancionada pelo Prefeito José Vaz Espinheira nesta mesma data, estabeleceu normas e metas administrativas e financeiras para a empresa. Nesta mesma data com a aprovação do Poder Legislativo foi renovado o Convênio com a mesma.

O FSESP-Fundação de Serviços Especiais e Saúde Pública, de posse dos estudos e com os projetos elaborados que visavam a ampliação, reforma e reaparelhamento do sistema de água, depois de aprovação do Poder Legislativo e com o aval da Prefeitura Municipal, firmou Convênio com BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, para contrair empréstimo para atender às execuções das obras. O prazo de pagamento desse empréstimo foi de 20 (vinte) anos, que foi concluído no ano de 1987.

À partir dessas melhorias o SAAE, continuou sempre acompanhando o desenvolvimento de Itapetinga, com a implantação de Redes para atender os Bairros Primavera, Clodoaldo Costa, Otavio Camões, ampliações na Nova Itapetinga, Vila Izabel, Urbis e outros.

No ano de 1987, através de um Convenio da Prefeitura Municipal e o Ministério da Saúde, o SAAE, implanta na Vila Riachão, construção de uma casa de bombas e 02 (dois) reservatórios em concreto armado, e uma adutora de água tratada com diâmetro de 250mm, para melhor atender a população dos bairros Riachão, Clerolândia e Vila Isabel.

No ano de 1998, o SAAE implantou duas adutoras com tubos de pvc, diâmetro de 85mm, e extensão de 830,00m, à partir do Reservatório na parte elevada do Bairro Riachão até o Distrito Industrial de Itapetinga, com Recursos oriundos de um Convênio do Governo do Estado Bahia e Prefeitura Municipal de Itapetinga.

O período de administração da FSESP que mais tarde passou a se chamar FNS – Fundação Nacional de Saúde, significou uma etapa de prosperidade para o SAAE pois, este órgão Federal, durante a sua administração além de implantar toda a ampliação do sistema de água, demonstrou zelo, capacidade e ética na gestão do patrimônio da empresa e na relação com o quadro de funcionários da mesma. O convênio de administração da FNS vigorou até 18/02/99, quando o mesmo, foi denunciado pelo Ministério da Saúde e, a partir dessa data, o SAAE volta a ter o seu gestor indicado pela Administração Municipal.

Nessa nova etapa de sua história, no período do ano de 1999 ao ano de 2004, continuou seus trabalhos, de ampliações e reaparelhamento: Ampliação de redes de água em vários bairros da cidade, principalmente a do Bairro Quintas do Morumbi; Implantação do Sistema de Água, e do Sistema de Esgotamento Sanitário, inclusive com o Tratamento, do Bairro Américo Nogueira; Substituição de parte de redes de cimento amianto no centro da cidade e no Bairro São Francisco; No ano de 2002, foi construída uma nova adutora de Água Bruta, com tubos DEFOFO com diâmetro de 300mmm e extensão de 2150m, e substituição das Bombas das elevatórias. Serviços realizados com recursos proveniente de Convênio firmado entre o Ministério da Saúde e Prefeitura Municipal; No ano de 2003 foi implantado uma adutora de água tratada numa extensão de 960m para atender aos bairros Quintas do Sul e Norte e parte de redes de distribuição; Foi renovado a frota com aquisição de 05 (cinco) veículos e uma Moto; Em meados de ano de 2003, foi firmado Convênio com SABESP – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, para confecção de Projeto e acompanhamento da implantação do Sistema de Automação do Sistema de Água. Em dezembro de 2004, foi concluído toda a implantação do Projeto de Automação com a implantação do Software Agualog.

No período do ano de 2005 ao ano de 2008, o SAAE continuou ampliando os seus sistemas de distribuição de água e coleta e Tratamento de Esgotos; Implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário, inclusive Tratamento do Bairro Quintas do Morumbi asa Sul; Construção de Lagoa anaeróbica, implantada em área próximo a COOLEITE, para receber os esgotos tratados dos Bairros Quintas do Morumbi, Américo Nogueira, Quintas do Morumbi asa Sul, Recanto da Colina; Projeto e início da Implantação da Construção de Emissário Coletor e Tratamento dos Esgotos da Cidade de Itapetinga.

No período a partir de 2009 a março de 2016, o SAAE continuou ampliando os seus sistemas de distribuição de água, Coleta e Tratamento de Esgotos, visando atender o crescimento bastante acelerado do seu número de usuários. Foi implantado no município, 06 (seis) conjuntos Residenciais do Programa Minha casa Minha Vida, com 2800 unidades habitacionais, e o SAAE passou operacionalizar todos os Sistema de distribuição de Água, Coleta e Tratamento de Esgotos desses conjuntos; Construiu em parceria com a Clínica de Hemodiálise no Bairro Recanto da Colina, rede de coletora de esgotamento sanitário, com diâmetro de 150 a 300mm, com tubos ocre, numa extensão de 732,00m; Assinou Contrato de Parceria com as Empresas GB – IMOBILIÁRIA LTDA e RESIDENCIAL ITAPETINGA LTDA, visando a implantação de adutoras numa extensão 4.360 m, com tubos DEFOFO e diâmetros de 150 e 200 mm, para atender os Loteamentos Turmalina e Pedra Branca, com aproximadamente 3.900 lotes; o SAAE, através de uma Empresa de Consultoria Contratada, está preparando a documentação necessária, para ser encaminhada a Caixa Econômica Federal, visando regularizar o Convênio com a mesma, para dar prosseguimento as obras da Construção do Emissário Coletor e Tratamento dos esgotos da Cidade de Itapetinga.

Enfim, o SAAE em sua trajetória como Empresa Pública Municipal, responsável pelos Serviços de Saneamento da Cidade, entre eles o abastecimento de água de Itapetinga, tarefa da mais alta responsabilidade, serviços que sempre procurou prestar com eficiência e qualidade. Têm sempre procurado valorizar o seu quadro de funcionários, haja vista o alto comprometimento de todos, por estarem ajudando a manter e a se renovar dia a dia a empresa que é patrimônio da população de Itapetinga, e que tem finalidades tão nobres. Atualmente tem cadastrada 25.828 ligações, atendendo praticamente toda a cidade na distribuição de água, manutenção de toda rede coletora de esgotos, e operando as estações de tratamento. Atualmente o Senhor Alex Sandro Dutra Santos ocupa o cargo de Diretor da autarquia. Temos a consciência de que todos, devem cuidar bem do SAAE, pois assim procedendo estaremos zelando pelo nosso patrimônio e assegurando o desenvolvimento de nossa cidade e o bem estar de cada cidadão Itapetinguense.

 

Histórico do Sistema

 

CAPTAÇÃO – A fonte de suprimento era o Rio Catolé e a Captação era feita logo a montante da cidade. A água era desviada lateralmente para o interior de um tanque cilíndrico por meio de um conduto de 350mm de fo.fo..

ADUÇÃO – A adução era feita por bombeamento. Dispunha-se de (2) duas bombas K.S.B acionadas por um motor Diesel, marca DEUTZ, de 90 HP/.

RECALQUE – A tubulação de recalque era de 200m em tubos de fo.fo. numa extensão de 1.400m.

TRATAMENTO – O tratamento era feito por filtração lenta, procedida de sedimentação simples sem cloração.

RESERVAÇÃO – O reservatório de distribuição possuía estrutura de concreto armado, com forma cilíndrica, enterrado, com a capacidade de reservação de 500m3.

DISTRIBUIÇÃO – O Sistema de distribuição era de tubos de fo.fo., com diâmetros variáveis de 50 a 300mm, não existindo micromedição.